SEINFELD E A FILOSOFIA
Será que um programa de TV que alega ser "sobre nada" pode ser de fato filosófico? Seinfeld, a comédia de situação mais popular da década de 1990, conseguiu atrair a atenção de seu público para eventos cotidianos de um modo nunca experimentado, observando o mundano e o comum ao seu redor por meio do riso. O próprio nome do programa já é bastante filosófico, pois, como mostra William Irwin, remete-nos à obra de Heidegger, sein und zeit (ser e tempo). Além disso, o subtítulo de Seinfeld e a filosofia, "um livro sobretudo e nada", também faz uma alusão clara à obra de Friedrich Nietzsche Assim falava Zaratustra - um livro para ninguém e para todos. Os ensaios, escritos com a intenção de serem acessíveis não somente aos versados em filosofia, mas também aos estudantes e fãs da série, são divididos em quatro atos. No ato i, intitulado "os personagens", temos quatro ensaios examinando Jerry, Elaine, Kramer e George, os protagonistas da série, pela lente filosófica. No ato II, "Seinfeld e os filósofos", quatro ensaios tratam, pela lente seinfeldiana, de um filósofo histórico ou de uma filosofia histórica. O ato III, "meditações prematuras ao lado do bebedouro", apresenta três ensaios, cada um explorando uma questão filosófica relevante no programa. Já o ato IV, "o que há de errado nisso", traz ao leitor três ensaios que exploram questões éticas usando Seinfeld como base. Depois do sucesso de Matrix - bem-vindo ao deserto do real, os Simpsons e a filosofia e Buffy, a caça-vampiros e a filosofia, a Madras editora traz Seinfeld e a filosofia, um livro que introduz o leitor ao pensamento filosófico por meio do humor.

Escreva um comentário

Nota: O HTML não é traduzido!
    Ruim           Bom

SEINFELD E A FILOSOFIA

  • Editora: MADRAS
  • Código: 9788573748840
  • Disponibilidade: 1
  • R$29,90